Que mera

I

Uma onda amarela
Ascende uma luz

E atiça o dia 
Que era só negror

Logo uma forma amarela
Dança num palco interior

II

Um amarelo repousa
Sobre o seio do silêncio 

E excita um tom
Que ainda sabe a dor

Mas que pulsa amarelo 
Num piano interior

III

Revoa um amarelo 
Em vez do vazio mero

Da mera falta de ar
Pois se há de supor

Que se preste de tela
A um filme interior

Um comentário sobre “Que mera

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s