Beco do Mota

Diamantina é o Beco do Mota/ Minas é o Beco do Mota/ Brasil é o Beco do Mota/ Viva meu país (Milton & Brant)


Sabes, no fundo eu sou um sentimental/ Todos nós herdamos no sangue lusitano/ Uma boa dose de lirismo, além da sífilis, é claro/ Mesmo quando as minhas mãos estão ocupadas/ Em torturar, esganar, trucidar/ Meu coração fecha os olhos e sinceramente chora (Buarque & Guerra)

Vivo en un país libre
Cual solamente puede ser libre

Que vai cumprir seu ideal
{En esta tierra, en este instante}
Que ainda vai tornar-se um imenso Pantanal
     {arra}

E o Amazonas deságua no Brejo
{pororoca do Amaral Neto Trás-os-Montes sim, senhor}
Y soy feliz porque soy fatal

Daí Anitta & Jeff Koons & Bituca
Damien Hirst & Marília Barbosa & Gil
Zuckerberg & Vladimir Orban & Žižek 
BBB & Barbatimão & Saudades do Matão

Silêncio obsequioso
Lixa o céu seco
Não há banda
Não há plateia
Não há, não há

Foto do alto (detalhe) e sobposta ao texto: Solomon R. Guggenheim Museum, New York Gift, The Mark Rothko Foundation, Inc., 1986

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s