Ian McEwan e a ostentação narrativa (1)

Ian McEwan me faz pensar num campeão de fisiculturismo narrativo, num Schwarzenegger do romance. Cada vez mais o vejo como um escritor dado a exibir sua fabulosa musculatura literária num palco onde, sem querer, olimpicamente se distancia do leitor, seja ele ou não ignaro. Em tantas páginas, saltam-lhe dos bíceps e peitorais inflados a grossa […]

Read more "Ian McEwan e a ostentação narrativa (1)"

“Serena”, bola fora de Ian McEwan

Acabei Serena, romance de Ian McEwan lançado “mundialmente” entre nós pela Companhia das Letras, como diz o selo colado à capa. Ainda não saiu no inglês original no país do autor, certamente porque nós, emergentes dos BRICs, já temos muito mais livrarias do que a grande Buenos Aires; trocadilhando, imbricamos de vez no primeiro mundo […]

Read more "“Serena”, bola fora de Ian McEwan"