Tag: carta de cultura

Tudo que é sórdido fica no ar

Tome, doutor, essa tesoura, e corte esta singularíssima publicação. O convite é da Ju#36 à leitora e ao leitor, depois de recitar Augusto dos Anjos. Estranhamente, a carta pede a colaboração pecuniária do leitor, pois vive à míngua, mas confessa isso em registro nonsense. A edição invocou com o Caveirão e seu discurso em Belém sobre a panaceia chamada hidroxicloroquina (“sou a prova viva etc…”). Sim, ele é a prova viva disso e mais! Inclusive de que o crime recompensa, ou de que tudo que é sórdido permanece no ar. A Ju também invocou feio com a antropóloga Ângela Alonso e sua arenga sobre o Caveirão e Caetano Veloso se encontrarem em “paralelas históricas”. Mas achou o maior barato o artigo do professor da UFBA Wilson Gomes na “Folha” colocando pingos nos iis no debate sobre o filme de Beyoncé e a cultura do cancelamento. A propósito disso, a Ju chamou às falas o jornalista Paulo Roberto Pires, que se arvora a guru de lacradores. O Intervalo traz Nara Leão em “Fez Bobagem”, um diamante astral. O disco da italiana Barbara Casini “Viva eu – As canções brasileiras de Novelli” é mais que um disco, é um discaço A Ju ainda lembra que o ex-caderno de ex-cultura da “Folha” não deu uma linha sobre o disco de Barbara. A MPB parece ter sido banida da “Ilustrada”, mas Jup do Bairro e Linn da Quebrada não têm do que reclamar. Isso para início de conversa! Ora, vamos apear!

Jurupoca #3

 2/agosto/2019 Uma entrada dos magníficos “Diarios” (em espanhol) de Iñaki Uriarte me acode quando tento burlar a bile negra. O autor basco cita o comentário grave e solene do senhor Prudhomme, personagem do dramaturgo, ator e caricaturista francês Henry Monnier (1799-1877), quando vê o mar pela primeira vez:— Tal cantidad de agua roza el ridículo. … Continuar lendo Jurupoca #3

Jurupoca #0

jurupocaju·ru·po·casfZOOL1 Peixe teleósteo, siluriforme (Hemisorubim platyrhynchus), de água doce, encontrado nos rios da Amazônia e do Sudeste brasileiro e no Paraguai, com boca com grande prognatismo, dorso esverdeado, ventre esbranquiçado e manchas negras nas laterais; boca-de-colher, jeripoca, jerupoca, jiripoca, jurupensém, mandiaçu.2 V surubim-lima.ETIMOLOGIAtupi iurupóka.Etimologia"Jurupoca", "jerupoca" e "jiripoca" são oriundos da junção dos termos tupis yu'ru … Continuar lendo Jurupoca #0