Toda as edições da JU

JU_88 | Bizarrias: ler, escrever, doar

JU_87 | A cultura na clandestinidade

JU_86 | Hic bibitur

JU_85 | A linguagem infectada pela mentira

JU_84 | De como Pantagruel julgou, há 500 anos, uma ação similar à do “votimpresso”

JU_83 | Rexitegues autossatisfatórias

JU_82 | Rayssa nos deu à luz

JU_81|Lira e o aquecimento global no Planalto Centrão

JU_80 | Carrancas fardadas me acertam na cabeça #80

Jurupoca #79: Cringes, bagatelas e pererecas

Jurupoca #78: O samba da serotonina

Jurupoca #77: Do Burro Hidrófobo ao cloroquinista

Jurupoca #76: Minha vida de blogueiro

Jurupoca JU_75: O jacaré que queria ser gente – Uma fábula pós-verdadeira

Jurupoca #74: Contra o suplício do Caveirão, Sísifo

Jurupoca #73: O mundo como farsa e tapeação

Jurupoca #72: Coisas de internet

Jurupoca #71: Na hora da nossa morte

Jurupoca #70: BH: cidade placebo | Palavras de pus

Jurupoca #69: Simplíssimo: estou louco

Jurupoca #68: Palhaçada! A dor da gente não sai no jornal

Jurupoca #67: Bia Burra do Bradesco no BBB

Jurupoca #66: Encalhados

Jurupoca #65: A marcha da selvageria

Jurupoca #64: Músicas que refrescam a alma

Jurupoca #63: Me lembrou Carlitos

Jurupoca #62: Bananas para o Bananão

Jurupoca #61: Carta aberta ao Caveirão

Jurupoca #60: Sustentável peso da decadência

Jurupoca #59: Cuspo o bagaço dos meus dias?

Jurupoca #58: Um jornal para chamar de seu, mesmo que seja o meu

Jurupoca #57: o zoo humano chamado BBB

Jurupoca #56: Memento mori ao revés: lembre-se de que viveu

Jurupoca #55: A vacina obrigatória do impeachment

Jurupoca #54: Melodia sentimental para um amigo na pior

Jurupoca #53: De volta a Dunas com Tom, Zé Miguel e Ezra

Jurupoca #52: O ano do vazio

Jurupoca #51: Dezembro – mês ou menstruação

Jurupoca #50: Chavões para abrir o Brasil

Jurupoca #49: Delícias da Pindaíba

Jurupoca #48: E o lugar da fala dos pipoqueiros

Jurupoca #47: Matou a ‘família Globonews’ e foi ao cinema

Jurupoca #46: Perdidos no espaço analógico

Jurupoca #45

Jurupoca #44

Jurupoca #43

Jurupoca #42

Jurupoca #41

Jurupoca #40

Jurupoca #39: No princípio era a verba

Jurupoca #38: Esse coqueiro que dá coco

Jurupoca #37: De camisa amarela

Jurupoca #36: Tudo que é sólido fica no ar

Jurupoca #35: Papo cabeça com Tiradentes

Jurupoca #34: União da cólera e o algoritmo

Jurupoca #33: as bundas mais sublimes

Jurupoca #32, a Ju e a Tigresa

Jurupoca #31

Jurupoca #30

Jurupoca #29

Jurupoca #28

Jurupoca #27

Jurupoca #26

Jurupoca #25

Jurupoca #24

Ju Extra – Carta de Quarentena 06

Jurupoca #23

Jurupoca Extras – Carta de Quarentena 05

Jurupoca #22

Jurupoca – Carta de Quarentena 04

Jurupoca #21

Jurupoca Extra – Cara de Quarentena 03

Jurupoca #20

Jurupoca Extra – Carta de Quarentena

Jurupoca #18

Jurupoca #15

Jurupoca #14

Jurupoca #13

Jurupoca #12

Jurupoca #11

Jurupoca #10

Jurupoca #09

Jurupoca #08

Jurupoca # 07

Jurupoca # 06

Jurupoca #5

Jurupoca #4

Jurupoca #03

Jurupoca #02

Jurupoca #01

Jurupoca #0